30/03/2023

SUPLEMENTAÇÃO COMO ESTRATÉGIA DE PREVENÇÃO E TRATAMENTO DA SARCOPENIA

Quando aliada ao exercício de resistência, a suplementação nutricional, previne déficits e contribui mais fortemente para o aumento da massa muscular. Isto é chamado de efeito sinérgico. Inclusive, este efeito sinérgico pode ser observado entre algumas suplementações sem a presença de exercício. Um estudo recentemente publicado em Plos One demonstrou que um mix nutricional (whey, creatina, vitamina D e ômega-3) estimulou o ganho de força e massa magra em um grupo de homens saudáveis mais velhos em comparação com o grupo que não recebeu suplementação.

A dieta é uma grande aliada no tratamento da sarcopenia, e a suplementação pode ser de grande valia. Muitas pessoas com mais de 60 anos ingerem menos de 75% da dose diária recomendada de proteínas. No caso de adultos mais velhos, por exemplo, é de vital importância que mantenham uma boa ingestão proteica, principalmente por apresentarem uma maior resistência à síntese proteica e menor estímulo anabólico. 

O whey protein: Uma das contribuições das proteínas em pó de boa qualidade é o seu alto valor biológico, que é a capacidade do organismo de absorvê-las e aproveitá-las. O whey, contém um excelente perfil de aminoácidos e pode ajudar os idosos a otimizar sua ingestão de proteínas e proteger contra a perda da massa muscular. 

A creatina:  É produzida pelo fígado, rins e pâncreas a partir dos aminoácidos glicina, arginina e metionina, e cerca de 95% desta produção é armazenada nos músculos esqueléticos. Sua principal função é o fornecimento rápido de energia durante a contração muscular. No entanto, a creatina também auxilia no aumento da força, sendo eficiente até para pessoas acometidas por doenças neuromusculares.

Com a idade e inatividade, há menos produção de creatina, e a sua suplementação junto ao exercício em idosos tem efeitos benéficos sobre a massa muscular, força e resistência à fadiga, além de resultar em maiores ganhos de massa magra.

A Vitamina D:  A redução da força e do anabolismo muscular também podem estar associadas à deficiência de vitamina.  Pesquisadores afirmam que a deficiência da vitamina está envolvida na diminuição da secreção de insulina, função e força musculares e sustentação do tecido ósseo. Assim, assegurar uma ingestão adequada de vitamina D pode ajudar a reduzir a incidência de osteoporose e sarcopenia em adultos mais velhos.

O ômega 3:  Outro nutriente que possui mecanismos de ação na prevenção da perda de massa muscular, pode vir do óleo de peixe, o qual já tantos benefícios foram evidenciados para a saúde geral. Estudos mostram que a suplementação de ácidos graxos ômega-3 aumenta a taxa de síntese de proteínas musculares, acompanhada por maior indução de mTOR no músculo, somando-o aos benefícios já conhecidos para o coração e para o cérebro. 

Nutricionistas ou médicos são capazes de avaliar a individualidade e condição clínica de cada indivíduo e como fazer melhor uso dos suplementos acima citados.

Nutricionista Clínica Funcional
e-mail: verenapassos@gmail.com
Instagram: @verenapassos_nutri
 
 
Referências:

Fielding RA, et al. Dose of physical activity, physical functioning and disability risk in mobility-limited older adults: Results from the LIFE study randomized trial , for the LIFE study group. PloSONE. 2017; doi:10.1371/journal.pone.018215 2. 

Clark DJ, et al. Muscle Performance and Physical Function Are Associated With Voluntary Rate of Neuromuscular Activation in Older Adults. Journals Gerontol Ser A Biol Sci Med Sci. 2011; doi:10.1093/ gerona/glq153

Bell KE, et al. A whey protein-based multi-ingredient nutritional supplement stimulates gains in lean body mass and strength in healthy older men: A randomized controlled trial. Fisher G, ed. PLoS One. 2017; doi:10.1371/journal. pone.0181387

Tamopolsky M, et al. Creatine monohydrate and conjugated linoleic acid improve strength and body composition following resistance exercise in older adults. PLoS One. 2007; doi:10.1371/ journal.pone.0000991